Conferencista espanhol Joan Ferrés fala sobre os desafios da Educomunicação em tempos de pandemia

Texto: Marcela Brito (Cuiabá, MT)| Narração: Alexandre Miranda (Florianópolis, SC)

Equipe da Cobertura Colaborativa dos Colóquios*

_________

🔈Ouça a notícia: 🎧

Tiago Coimbra, Intérprete de Libras, divide tela com o Prof. Dr. Joan Ferrés
Tiago Coimbra, Intérprete de Libras, divide tela com o Prof. Dr. Joan Ferrés

Se o mundo pré-pandemia já seguia o imperativo da mediação por telas, com a realidade da covid-19 a utilização das tecnologias se intensificam em um momento onde as emoções se aguçam a cada clique no computador. É neste contexto que o professor Dr. Joan Ferrés traz para a conferência de abertura dos Colóquios a reflexão do tema “A tela multipartida: metáfora da Covid-19”. O evento online ocorreu na manhã de terça-feira (09) e foi mediado pela Profa. Dra. Ademilde Sartori.


O conferencista apresentou o panorama da pandemia com relatos de perdas de vidas, desempregos, carências, problemas relacionados ao isolamento social como a depressão, ansiedade e estresse. Todavia, enquanto parte da população sofre com as consequências da pandemia, Ferrés observa que a lucratividade faz parte da rotina de empresas como as farmacêuticas e a indústria digital.


Segundo o estudioso, o entretenimento durante este período se apresenta para compensar nossas carências, e a dependência das pessoas é o foco das empresas para a ampliação dos seus lucros. A vulnerabilidade psicológica dos consumidores alimenta esta cadeia de busca de likes nas redes sociais, consumo de séries de plataformas e uso excessivo do celular.


“Esta busca obsessiva de likes, a busca obstinada por seguidores, a criação de identidades falsas nas redes sociais, pouco ou no mínimo, têm identidades maquiadas na tendência do aumento de números, a amplificação do nada”, diz Ferréz.

Entre os desafios apontados para a Educomunicação, foram citados a mediação das tecnologias, que antes da pandemia já era realidade, e que agora a educação midiática ganha espaço; a análise das práticas na interface da educação e comunicação.


Imagem da apresentação utilizada por Ferrés - As telas como janelas ou como espelhos
Imagem da apresentação utilizada por Ferrés - As telas como janelas ou como espelhos

O conferencista também observou que não basta dominar as tecnologias da informação, mas refletir em como se dá a interação entre as pessoas e que as tecnologias expõem nossas relações de carência nesse universo informacional.

Ferrés destacou estudos relacionados à relação entre a razão e a consciência e foram apontadas as quatro dimensões relacionadas à emoção que desafiam a educomunicação: dimensão mobilizadora de emoções, cognitiva, ativa e empática. “Não basta saber, tem que sentir”, declara o pesquisador que fez uma metáfora do barco às práticas educomunicativas, “A embarcação não pode embarcar sem ventos, nosso vento é a emoção”.


Ao afirmar que somos prossumidores ( produtores + consumidores), o professor espanhol destaca que a educação midiática tem que ocorrer para todos os tipos de realidade e que o foco não é apenas o pensamento crítico, os educadores devem mobilizar para uma atuação crítica. A empatia foi outro destaque presente na conferência que citou os desafios que a educomunicação enfrenta na pandemia.

Joan Ferrés, Hanna Beer (Intérprete de Libras) e Ademilde Sartori

A mediadora da primeira atividade do VIII Colóquio Ibero-americano de Educomunicação e o IX Colóquio Catarinense de Educomunicação, Ademilde Sartori, destacou o quanto a emoção faz parte das tomadas de decisões e como os educadores devem pensar e ser críticos, colocando-se no lugar do outro. “Colocar este desafio de ultrapassar as telas como janelas, porque de certa forma elas editam o mundo, elas deixam ver parte do mundo e não outra parte do mundo. Mas passarmos a entendê-las com espelho de si mesma, de tentar aprender quando olhamos as coisas, a vida, os fenômenos sociais, as disputas, aquilo que de feio tem no mundo e que nós queremos diminuir, e que possamos contribuir para que a beleza aumente no mundo”, finaliza.


Confiram a programação do evento online que segue até o dia 19 de março. Inscreva-se!

* Uma equipe com voluntários(as) de diversos lugares do país está contribuindo com a cobertura dos Colóquios de modo colaborativo. Críticas e sugestões podem ser feitas em coberturacolaborativaeducom@gmail.com

53 visualizações