Práticas de ensino remoto de emergência e de EaD na pandemia foram debatidas nos colóquios

Marcela Brito| Equipe da Cobertura Colaborativa dos Colóquios*


Dr. José António Moreira da Universidade Aberta de Portugal.

O segundo dia do VIII Colóquio Ibero-americano de Educomunicação e o IX Colóquio Catarinense de Educomunicação dá sequência aos debates sobre os principais desafios da atualidade quando o assunto é comunicação e educação. Nesta quarta-feira (10), o evento, que já supera 900 inscritos, contou com a participação do professor Dr. José António Moreira da Universidade Aberta de Portugal e mediação da professora Ma. Ana Flávia Garcez .


Assim como na conferência de abertura, um minuto de silêncio foi dedicado às vítimas da pandemia como forma de homenagem às mais de 260 mil mortes causadas pelo coronavírus no Brasil. O tema proposto pelo evento era “Boas práticas mundiais em EaD em tempos de Covid19. Lições e agenda futura”, todavia, Moreira afirmou quebrar o protocolo e modificar a temática para “Práticas de ensino remoto de emergência e de EaD em tempos de Covid19: Lições e agenda futura”.


O professor afirma não conseguir falar de boas ou más práticas, pois o que existem são práticas que devem ser reconhecidas e que não deixaram a educação parar neste período de isolamento social. Ele avalia que as iniciativas educomunicativas se evidenciam agora, em um momento que as inovações devem fazer parte da rotina do ensino e que, quando não ocorre comunicação, o processo de ensino e aprendizagem não acontece. O palestrante destaca também que a educação do ensino remoto é diferente da Educação a Distância por questões de composição estrutural, metodológica, mas que o que deve ser pensado agora, não é somente o momento presente e sim quais lições estão sendo tiradas e quais as agendas futuras temos para a educação. “A relação entre a geografia física e a geografia virtual não devem ser de anulação, e sim de complementaridade”, afirma Moreira.


Trecho da apresentação de Moreira

Entre ações futuras para se pensar está a educação digital em rede, que é um caminho para a educação e já é realidade em Portugal, com o Plano de Educação Digital (2021- 2027), em vigor em toda União Europeia. Ações efetivas estão elencadas no documento para a universalização da estrutura digital e acesso à internet para toda população, para que haja um ecossistema de educação digital eficaz. “Transformação digital não é apenas utilizar as tecnologias, tem que ter o processo de transformação pedagógica, não apenas equipamentos digitais”, afirma Moreira. “Temos a oportunidade de conseguir inovação verdadeira a nível pedagógico”, complementa o professor. Os desafios com a educação digital em rede, às práticas humanistas no processo da utilização das tecnologias, aliadas ao fator humano que comanda as máquinas, foram apontados.


Além de se atuar por um novo paradigma educativo da educação ou renovar o que já se pratica, tendo em vista que, a centralidade na educação não deve ser fixa no professor ou no aluno, mas sim num caminhar entre um e outro “não podemos deixar a educação parar, é preciso continuar trabalhando para que os processos de educação tenham qualidade, e isso me parece uma questão essencial. É preciso pensar como vamos construir e desenvolver uma educação de qualidade para o século XXI, uma educação mais digital, mas, sobretudo, uma educação com mais qualidade”, finaliza Moreira.


Para a mediadora da palestra, professora da UDESC, Ana Flávia Garcez, fica a provocação de pensar de maneira científica as práticas pedagógicas que envolvem principalmente o processo da comunicação. Ressalta que é preciso “pensar a tecnologia como coadjuvante para que possamos trazê-la no sentido de nos auxiliar e não substituir nossas práticas pedagógicas”, observa.


A palestra foi encerrada com a animação “Os pipocas”, uma apresentação cultural dos estudantes da Escola Básica Municipal Albertina Madalena Dias, de Florianópolis, e produção do Educom.cine.


Confiram a programação do evento online que segue até o dia 19 de março. Inscreva-se!

________________________________________________________

* Uma equipe com voluntários(as) de diversos lugares do país está contribuindo com a cobertura dos Colóquios de modo colaborativo. Críticas e sugestões podem ser feitas em coberturacolaborativaeducom@gmail.com



43 visualizações